sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Interregno

Não há momentos de condão que invertam varinhas em vontades. Querer só porque a força assim o permite não faz dos dias noites, nem da água fogo. Preciso querer, tal como preciso entender, no meio daquilo que se sobrepõe à minha vontade. O que alcanço daqui é aquela barreira de lá, que de tão presente que está, me afasta da vontade verdadeira daquilo que quero.

Não há momentos de condão que invertam varinhas em vontades... porque se os houvesse, eu seria um.

( Continuo em decadência... OBRIGADA a todos pelas mensagens de apoio... )

10 comentários:

  1. Claro que não há!!!

    Nem precisas. Vais ter que sofrer sozinha. Gostava de te mentir. (mentira a minha).

    Gosto de te rever por cá!

    Cuida-te!

    ResponderEliminar
  2. M.,
    Não sofro sozinha, porque não sofro por mim... infelizmente nada depende de mim neste ciclo em que tudo ficou repentinamente virado do avesso, mas encaro isto como uma prova de esforço, que terei que suportar para me tornar mais forte. Um dia atrás do outro. Espero pela bonança.

    Beijinho e obrigada...**

    ResponderEliminar
  3. Por não depender de ti é que sofres assim. Sou eu a falar mas o sofrimento não se partilha. Era bom! Podes crer que se fosse assim te aliviaria de algum:)

    ResponderEliminar
  4. Muito agradecida, mas acredita, indirectamente já o fizeste :)

    Vidas... já dizia o Nuno Markl...

    ResponderEliminar
  5. Pois.

    Dispõe:)

    (até porque o Cunha Antunes é meu familiar...lool)

    (É mesmo!!! Um dia conto-te algumas coisas do teu clubeco...Mas prepara-te que te vai doer:)))))

    ResponderEliminar
  6. Dark,

    È mesmo assim...não existem varinhas de condão.
    Força!
    A partilha sempre ajuda um pouco e estas poucas palavras de certo dão um pouquinho de conforto.Eu assim o desejo.

    Bjinho cheio de luar

    ResponderEliminar
  7. Oiee, estou te seguindo.. me segue tambem?
    http://bloggerfaby.blogspot.com/
    Obg *-*

    ResponderEliminar
  8. Moonlight,
    A partilha tem-me ajudado muito. Felizmente que me sinto apoiada, apesar de tudo...
    Beijinhos e obrigada...

    Faaby,
    Irei visitar-te, fica aqui a minha promessa :)
    Beijinhos**

    ResponderEliminar
  9. Porque não há varinhas de condão, é que temos de ser nós a "dar a volta".
    É mais fácil dizê-lo do que fazê-lo, mas devagar tudo se recompõe e um dia damos por nós a sorrir outra vez.
    As marcas ficam para sempre, mas são elas o nosso ponto de referência, como as marcas deixadas pelas cheias, nas paredes. Só uma cheia mais alta pode vir a surpreender-nos mas, entretanto, aprendemos a nadar.
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  10. FF,
    "As marcas ficam para sempre, mas são elas o nosso ponto de referência, como as marcas deixadas pelas cheias, nas paredes" - verdade, e acredita que esta frase me define em muito nesta altura.
    Obrigada pela visita e pelas palavras.
    Beijinhos e boa semana*

    ResponderEliminar

Vá, enriquece-me com a tua sabedoria :)