quinta-feira, 15 de abril de 2010

Tudo passa

Daqui não dá para ver. Sei-o sem que alguém mo tenha dito, apesar da minha cegueira.
Abafados saem os suspiros, com notas graves, que com custo entram nesta madeira que me cerca e me vê, no silêncio das mãos sobrepostas. Os ouvidos já não ouvem, os olhos já não vêem, Não há sentidos. Não há origens.

Nestas palavras há sangue. Sangue que fala.
Que não se extingue. Que não se esvai.
( LITERAE NON ENTRANT SINE SANGUINE - a letra, com sangue, entra )

Correria ou voaria sem meta. Mas não há já motivos para fazer os passos ou voar sobre as metáforas.
Procuro o caminho, escondo as asas.

Nestas palavras há pó. Pó que já pousou.
Mas que, tal como as palavras, não se extingue, ou esvai.

Deixo o sangue e o pó fundirem, nestes sentidos momentos em que me sou, sem razões. Talvez daí nasça uma oração que os una na distância feliz da consciência.

Daqui não dá para ver. Porque a ponte caiu. 
Não posso passar para ali, e não me lembro de onde escondi as asas.
Malfadado não seria, se eu ouvisse mais ao longe.
Morro-me, e na queda, redimo-me nas notas graves da cerimónia fúnebre em que me embalam..

( Meeting point at the eternal sunshine of the spotless mind )

22 comentários:

  1. Se não dá para ver, chega mais perto.
    Ah!... Mas a ponte caiu... constroi uma nova!

    Angel

    ResponderEliminar
  2. Angel,

    Há pontes que não devem ser reconstruídas. Representam ciclos de vivências, que já completaram o ciclo. Essas pontes caem, outras acabam por nunca cair, felizmente. Elas são precisas no decorrer da vida, são no fundo, aquilo que liga ou desliga a nossa vida à vida dos outros.

    Eu tenho construído muitas pontes e uma delas está neste coment que deixou :)
    Obrigada, beijo!*

    ResponderEliminar
  3. estranho e profundo...
    pareces estar triste ou a passar por uma modificaçao na tua vida?!

    ResponderEliminar
  4. Olá João,
    Triste talvez não seja o adjectivo, mas acertaste na parte da mudança na minha vida. :)

    Beijinho :*

    ResponderEliminar
  5. Minha querida amiga Angel,

    Há dois tipos de mensagem: A das palavras e a do silêncio entre elas. Eis uma mensagem subjetiva que ficará na minha subjetividade – na minha quietude.

    Muito significativo seu post!

    Um grande abraço do amigo,

    Edson Carmo

    ResponderEliminar
  6. Edson,

    As palavras têm o poder da objectividade e da subjectividade. Fico feliz se, na minha subjectividade, consigo passar alguma mensagem; às vezes não é fácil entender a escrita subjectiva, porque é muito escondida, mas mesmo vestindo-se de confusão a mensagem está sempre lá, subjacente.
    Obrigada pela visita,
    Beijo com carinho :)

    ResponderEliminar
  7. Como já te disse, acho que este post funcionaria lindamente como uma letra de heavy metal.
    Sendo o poeta fingidor, quanto de ti será fingido aqui? :)
    E por fim, great meeting point you chose, you might find there Jim Carey or Kate Winslet, ou então o Ferreira :D

    ResponderEliminar
  8. Darsch,

    O Ferreira, LOOOOOOOOOOOL! :D estiveste muito bem, agora...

    ResponderEliminar
  9. Bigada pelo comentario! Mas neste caso nao olhei para o defeito da pessoa que me desiludiu, ele próprio é que mostrou uma pessoa que eu nunca tinha visto, e foi isso que me deslidiu, sobretudo quando me deixou de falar e nao sei ao certo o porquê do qual já lhe estou farta de lhe perguntar e ele nem resposta me vira, e ele nao era apenas uma pessoa, era alguém muito especial...
    Agora em relação ao teu post, e se construires uma nova ponte, mas mais segura, talvez ajuda-se!
    Bjinho*

    ResponderEliminar
  10. Li,

    As pessoas especiais não nos viram as costas assim... pondera bem o quanto é especial para ti essa pessoa, porque quem gosta de nós tenta ter-nos por perto...

    Quanto à ponte mais segura, não... eu não quero construir uma nova... quero construir outras que me façam bem. Essa caiu, e ainda bem :)

    Beijinho :*

    ResponderEliminar
  11. Pois mas infelizmente eu já estou a fazer isso..não vou continuar a insistir no assunto, eu já tive muitas desilusões e elas só me fizeram crescer e ver, se nao nos merece há quem nos mereça,pode se díficil encontrar mas não impossível,eu estou bem, só magoa o facto dele ter desistido porque ambos estamos longe, mas isto foi mesmo tipo facada quase, mas eu já sou crescidinha e a vida continua quer com ele quer sem ele :)

    mas obrigada pelas tuas palavras :)
    bjinho*

    ResponderEliminar
  12. És uma caquética muito sábia ehehe :)

    ResponderEliminar
  13. As pessoas nem sempre são fáceis, é verdade! E as relações não dependem só de nós, por isso é que às vezes acabam por nos trazer algum sofrimento...
    De qualquer forma aprendemos com isso! ( como tu dizes ) E acabamos por perceber que quem realmente gosta de nós e quer estar do nosso lado pela vida fora, mantém-se presente nos nossos dias :)

    Beijinho Li. *

    ResponderEliminar
  14. Sinto-me traída Dark, ele ja falou comigo e nem acreditas o que aconteceu, tipo começou a namorar com uma amiga que ela tinha namorado, e entretando acabaram e as cenas entre eles aconteceram muito rápido.. e depois diz que nao brincou com os meus sentimentos :(

    ResponderEliminar
  15. A minha ponte que me levava a ele também se partiu neste preciso momento..

    ResponderEliminar
  16. Post muito lindo e inspirador....
    Parabéns do amigo
    Maxwel

    ResponderEliminar
  17. Li,

    Deixa que essa ponte caia, se ela te faz tão mal, faz como eu... Não alimentes tristezas e dá a oportunidade a outros e a ti mesma de encontrares bons momentos. As relações não são fáceis, e é muito importante entendermos isto de forma a reter apenas o que de bom conseguimos com elas, para não gastarmos a energia em coisas más.
    Liberta-te desse sentimento de traição... e aproveita a vida :)
    Tens uma ponte nova, eu! :) E eu tenho também uma ponte nova, tu :) e somos pontes positivas! ( embora o meu nome de blogger não inspire muito, mas sou! ^^)

    Beijinho grande, Li! :)

    ResponderEliminar
  18. MQ,

    Muito obrigada... :)
    Principalmente pela parte do inspirador... é fantástico saber isso.

    Aparece :*

    ResponderEliminar
  19. Eu sei, mas custa um bocadinho, mas eu estou bem, só lhe estou a ignorar, ainda veio dizer como é q podia evitar aquilo, tipo para mim que eu saiba qd se gosta mesmo de alguém conseguesse evitar, mas enfim Fuck him and her, distancia quero eu..
    I'm Okay =D

    Mas obrigada pelas palavras eheh :)

    Beijinho Grande*

    ResponderEliminar
  20. You´re ok, Li, boa, é o que interessa, bola para a frente! :)

    Smille pra ti :)

    ResponderEliminar
  21. Que mudança estará a decorrer para toda esta obscuridade? Terá essa importância toda? Não deixo de visionar a morte neste texto, mas que seja a morte de algo mau, para surgirem boas coisas.

    *

    ResponderEliminar
  22. Rita,

    Sim, é uma morte, podemos-lhe chamar assim. É uma nova forma de por as coisas em perspectiva sem a sombras de coisas que não me fizeram bem.

    Beijinho :*

    ResponderEliminar

Vá, enriquece-me com a tua sabedoria :)